Let the games begin

(qualquer animal é livre de abandonar este blog assim que se sinta medianamente confuso)

27 dezembro 2010

after christmas

nas palavras de alguém, não necessariamente mais estranho do que o desconhecido que se senta ao teu lado no autocarro ou no cinema:

"fuck Christmas baby, I got the blues".


Cheers ya all.

23 dezembro 2010

natal

as músicas de natal fazem emergir o que de mais cristão há em mim.

cada vez que entro dentro duma loja ou centro comercial e oiço aquelas melodias só me apetece aderir á Opus Dei para me poder auto-flagelar de acordo com o espírito.

15 dezembro 2010

po po ta





2007

sou só eu, ou a Popota evolui em 3 anos como nenhum pai desejará que a sua filha jamais evolua?

2010

07 dezembro 2010

an ar quia

"Aviação: TAAG assume "eventuais" consequências de avaria técnica que aterrou de emergência em Lisboa"
(in Jornal I / online)

curtia à brava ver uma avaria técnica a aterrar na Portela.
isso e ver o José Eduardo dos Santos a aterrar no fundo dum poço.

30 novembro 2010

Eric you're the man

e se levantássemos todo o dinheiro do banco?
provavelmente não acontecia nada...

e se todos levantássemos todo o dinheiro do banco?
hummm...

e se muitos levantássemos todo o nosso dinheiro do banco?
provavelmente provocaria mossa no sistema bancário, provavelemente os fat pigs da banca iriam sorrir e dizer que se isso voltasse a acontecer essas pessoas seriam penalizadas por mais um imposto/coima, mais um entre as dezenas de ridicularidades que nos são impostas pelos bancos:

a) taxas de manutenção de conta enquanto o nosso dinheiro é usado para especular nos mercados e rende (o dinheiro de muitos junto) milhões às instituições bancárias;
b) cartões de crédito impingidos aos compradores de casas, na esperança de que se deixem levar e caiam em excessos, que depois serão adequadamente e prontamente penalizados pelas mesmas instituições bancárias;
c) o envio para casa de cartões de crédito sem serem solicitados.

agora pergunto-me, e se depois disso grande parte das pessoas levantasse todo o dinheiro dos bancos durante 4 ou 5 dias???

sou só eu que me pergunto?

O Eric lança o repto: http://www.ionline.pt/conteudo/91062-ja-tem-versao-portuguesa-o-movimento-levantar-todo-o-dinheiro-dos-bancos---video

eu lanço o apoio.

soy hombre

     porque um blog sem imagens é como uma flor sem pétalas.

interacção escrita #2 - bathroom talk

animal a: shower = the place of thoughts and decision making.

animal b: já me ocorreram ideias verdadeirament fantásticas na casa de banho. não apenas no duche.
aquele emparedado de azulejos e mosaicos parece funcionar com um reflector de ideias criando uma tempestade de genialidade.

22 novembro 2010

é grande e mede 34cm e 2 milimetros

tenho aqui na minha secretária, como uma espécie de trofeu do desperdício humano, 270 centímetros quadrados de papel.

comprei dois artigos no Jumbo das Amoreiras.
perdão, Pão de Açucar (que é mais chique).

só por si, esses artigos já compreendem um desperdício enorme de papel (e outros) nas suas embalagens impregnadas de tintas tóxicas que ainda vão afectar as vacas que os meus netos comerão.

a isso a animalagem já está habituada. mas qualquer um com dois dedos de testa tem que se espantar com um talão de máquina com 34 centímetros para dois artigos. é grande. é enorme! é duma enorme estupidez.

são repetidas as informações do "PAO ACUCAR AMOREIRAS", informam-me gentilmente que poupava 22 centimos se tivesse o cartão deles, e repetem data e hora - tudo bem espaçado e em letras bem pequeninas.

assim vão os nossos artistas económicos no circo da democracia.

a objectividade da decisão individual

somos sempre duas coisas das quais não nos podemos desligar:
o que comemos
o que fazemos

bus change (yes we can)

pão não é mesmo a minha cena.

02 novembro 2010

as a friend, as an old enemy, take your time, hurry up

se a vida pode terminar num momento, ir-se num fugaz segundo, que dizer duma pseudo existência online.
a aparente inexistência pode decorrer da predominância do esquecimento do supérfluo a par da lanzeiriçe sazonal...
não é o caso.

não do esquecimento, mas duma sazonalidade pachorrenta.

quando temos muito para escrever com repetida frequência, é porque algo de essencial está a ser marginalizado.
fui, vou, mas voltarei.

20 outubro 2010

milk it

o paradoxo instala-se quando me dizem "epah nas últimas duas semanas trabalhaste muito pouco, olha para estes números... isto não está a correr bem..."
por um lado erge-se a reacção normal "fds, realmente, não são lá grandes números..." por outro emano a reacção animalesca de quem é fodido (mas pago), "fodido fodido é que me pagam exactamente o mesmo que a esses parvos que deixam a pele na secretária para vos agradar – e o reconhecimento é o mesmo".

não sei se estou errado ou se estou um bocadinho acima de me tornar num animal amestrado para gerentes ridiculamente incapazes praticantes de uma gestão ignobil, e chefes de equipa domesticados até à espinal medula pela subserviência com que o mundo do trabalho os ensinou.
se não houvesse espaço a mais que uma definição por palavra, com tanta promiscuidade como a que vejo aqui, isto era um prostíbulo enorme. e com a quantidade de pessoas desiquilibradas e descompensadas poderia seria ainda um manicómio.

agora imaginem uma casa de passe com 200 individuos altamente desiquilibrados.

08 outubro 2010

umbabarauma

há pouco li que as reuniões são uma forma das empresas se masturbarem.

aqui o céu está preto, e de vez em quando cai um rasgo de luz incandescente ouvindo-se um profundo gemer a brotar da negritude.
não sei se alguem se está a auto-satisfazer ou se estamos no cu da natureza.

come as you are

hoje estou particularmente enjoado dos humanos em geral.

07 outubro 2010

power and money for dummies (e para o Bloco de Esquerda)

eles perguntam: "e os bancos, porque não pagam?"
ora, algo a saber sobre dinheiro e poder.

ter dinheiro é, essencialmente, ter Poder. Poder é, essencialmente a capacidade de obtenção de um bem.
um bem pode ser animado ou inanimado.
temos bens animados como os animais, sejam eles camelo, gatos, deputados ou acompanhantes de luxo.
e temos bens inanimados como Ferraris, a mensalidade do Colégio Militar, as contas offshore ou a vivenda na Quinta da Marinha.

o Poder é exercido, na economia de mercado (ou se quiserem, na sociedade das transacções), através da obtenção de por meio da aquisição dos bens. os bens, sejam eles o Nicolau Breyner ou a Soraia Chaves (no Callgirl) são adquiridos com dinheiro.
o dinheiro, é assim a representação do Poder na terra, como o Papa o é do deus.

tal como o papa perdoa os pedófilos que bem entende, aqueles que mais dinheiro têm (como os bancos) pagam o que bem entendem.

assim Francisco, não. os bancos não pagam. porque se um padre pedófilo é um homem perdoado, então na mesma medida uma instituição financeira não deve contas ao Zé (povinho).

é caso para dizer que, cada um fode o que pode.

01 outubro 2010

30 setembro 2010

ahhh

um dia, quando tiver tempo para tratar seriamente os assuntos que me movem, juro que faço um blog sério.

e assino e tudo.

o animal.

28 setembro 2010

lifestyle guidelines: problems 1.1.1

na presença de um problema existe apenas uma forma de uso do tempo.

prossecução da resolução do problema.

27 setembro 2010

omfg

estive a ver 10 minutos da Oprah.
era sobre freiras, e apeteceu-me, ali mesmo na cozinha, bater com a cabeça na parede até ficar inconsciente.

lifestyle guidelines: problems 1.0.1

existem dois tipos de problemas.

aqueles que depois de ocorrerem, se resolvem,
e aqueles que se resolvem antes de ocorrerem.

pão com muito açucar

grande grande é o Jumbo remodelar o espaço e relocalizar o corredor da cosmética em frente das caixas automáticas onde se formam as filas.

26 setembro 2010

looking for me?

entrar ali na porta do fundo, levar com aquele bafo quente e ver a irmã coxa do Robocop a dirigir-se a mim de canadianas e óculos escuros é mais do que aquilo que posso aguentar.

não há mais sinais que possam demonstrar tanto o quanto eu tenho que me por daqui para fora.

24 setembro 2010

lay and roll

observando a aparente felicidade de alguns, o espírito é-me por vezes assolado pela aspiração de aspirar menos e com menor frequência.
felizmente passa-me rápido.

23 setembro 2010

interacção escrita #1 - sushi mushi

animal a: abriu uma loja de cupcakes nas Amoreiras, os cupcakes têm muito melhor aspecto que os cupcakes desta coisa.

animal b: isso é o mesmo que dizeres que já provaste a tua própria urina, mas a àgua Luso sabe-te bem melhor.

22 setembro 2010

cu de judas

já tinha ouvido falar do cu de judas...
mas o Barreiro está muito à frente!

(foto sem qualquer edição alem do cut)

god save the queen

sentaram-se frente a frente. o português de gravata ao peito, claro. o inglês evidenciando a ausência da mesma num "refeitório" onde 80% se apresenta devidamente "fardado", sinal claro de quem está de visita aos trópicos.
o português traz consigo uma imperial. o inglês uma coca-cola.

ing: i always get told off when i drink like that!
pt: i have no problem with that. as long as it is only one.

o que se passou mesmo neste jogo de cintura de sorriso replicado com sorriso?

pt: (esta imperial vai ajudar a demonstrar uma abertura de espírito ao estilo de vida inglês)
ing: (olha olha, vou levar uma coca-cola e não perdes pela demora)
ing: então amigo, isso é que é vida heim! se fosse comigo, no uk, já tava a levar na cabeça. (toma lá para não insinuares que os brits são todos uns bebedolas)
pt: (olha-me este - virgem ofendida) não há problema meu caro, não estou a evidenciar os graves problemas de alcoolismo que têm enquanto povo. por aqui pode-se beber uma ao almoço, sem stress. (porque o pessoal quando sai do trabalho não tem o hábito de se ir enfrascar).

e lá de ocuparam de almocar a falar de negócios.

21 setembro 2010

esta vida oioiai

ainda visto t-shirts com buracos e calças rotas nas bainhas.
deixo crescer a barba até... me apetecer.
continuo a viajar de comboio com os pés em cima do banco.
quase todos os dias me apetece jogar pc, apesar de não o fazer há meses.
ainda penso que o emprego menos mau seria aquele em que seria patrão.
o meu cabelo não conhece pente há 12 anos, e o meu carro não conhece aspirador há... uns meses.
continuo a trabalhar o mínimo possível para me poder dedicar o máximo possível aos meus verdadeiros interesses (continuo no emprego errado).

por tudo isto e por muito mais, que não importa, nem convém, aqui referir...
não... não tenho quase 30 anos.

20 setembro 2010

mindblowing

se eu fosse professor perdia a cabeça e revolucionava o Sistema (educativo).
enfiado 45 a 90 minutos, numa sala com 20 ou 30 miúdos, faria algo nada ortodoxo. inesperado mesmo.
renegado e excomungado, mas não necessariamente sozinho, ocupar-me-ia a ensinar!

19 setembro 2010

de doer a alma

um conjunto de palavras vale tanto quanto os pensamentos a que essas frases podem dar origem.
os pensamentos e a ideias valem tanto quanto as acções que podem gerar.
as acções valem tanto quanto as ilações que se podem retirar dos seus resultados.

e o que concluo de tudo isto?
que cada vez mais pensamos no (em) vazio e raciocinamos de forma séria cada vez menos.

closer

estamos perto demais quando vivemos a ausência da dúvida.

18 setembro 2010

rat's in the palace

vens a meio da ponte e eis que assistes a mais um exemplo da degradação dos monumentos nacionais. a mais uma violência contra a tua inteligência.
dum lado agradece-se. do outro uma foto. um senhor de idade, activo, quando jovem, na juventude hitleriana.

nunca produziu nada de palpável.
não consta que tenha dito ou escrito algo de verdadeiramente inteligente.

e aí está um país inteiro, país com "p" minúsculo, a agradecer (com a sua inactividade e complacência).

já admirei mais os insulares do RU, mas aqui há que respeitar este Povo, com "P" maiúsculo.

já repararam nas semelhanças entre a religião e a política?
pelo menos a nossa.
são sempre os mesmo que escolhem quem envergará o fato máximo.
e desta vez a escolha foi... um gozo total com o animal católico.

melhor mesmo, só terem escolhido o irmão.

16 setembro 2010

drive by

só porque A é pouco inteligente, não vamos supor que A é burro.
subestimar é abrir caminho à derrota. na guerra como na vida.

working your ass off


não trabalho para enriquecer. para enriquecer jogo no euromilhões.
também não trabalho para ser feliz.
mas procuro um mínimo de felicidade no trabalho.
nem que a atinja mudando ocasionalmente de emprego.
nem tem que ser para melhor. nem tem que ser para ganhar mais.
só a mudança em si, por vezes gera felicidade.

Procurar um contexto habitado pelo menor número de pessoas possíveis que não interessam, é, só por si um passo em direcção à felicidade. E elas são tantas.