Let the games begin

(qualquer animal é livre de abandonar este blog assim que se sinta medianamente confuso)

20 outubro 2010

milk it

o paradoxo instala-se quando me dizem "epah nas últimas duas semanas trabalhaste muito pouco, olha para estes números... isto não está a correr bem..."
por um lado erge-se a reacção normal "fds, realmente, não são lá grandes números..." por outro emano a reacção animalesca de quem é fodido (mas pago), "fodido fodido é que me pagam exactamente o mesmo que a esses parvos que deixam a pele na secretária para vos agradar – e o reconhecimento é o mesmo".

não sei se estou errado ou se estou um bocadinho acima de me tornar num animal amestrado para gerentes ridiculamente incapazes praticantes de uma gestão ignobil, e chefes de equipa domesticados até à espinal medula pela subserviência com que o mundo do trabalho os ensinou.
se não houvesse espaço a mais que uma definição por palavra, com tanta promiscuidade como a que vejo aqui, isto era um prostíbulo enorme. e com a quantidade de pessoas desiquilibradas e descompensadas poderia seria ainda um manicómio.

agora imaginem uma casa de passe com 200 individuos altamente desiquilibrados.

08 outubro 2010

umbabarauma

há pouco li que as reuniões são uma forma das empresas se masturbarem.

aqui o céu está preto, e de vez em quando cai um rasgo de luz incandescente ouvindo-se um profundo gemer a brotar da negritude.
não sei se alguem se está a auto-satisfazer ou se estamos no cu da natureza.

come as you are

hoje estou particularmente enjoado dos humanos em geral.

07 outubro 2010

power and money for dummies (e para o Bloco de Esquerda)

eles perguntam: "e os bancos, porque não pagam?"
ora, algo a saber sobre dinheiro e poder.

ter dinheiro é, essencialmente, ter Poder. Poder é, essencialmente a capacidade de obtenção de um bem.
um bem pode ser animado ou inanimado.
temos bens animados como os animais, sejam eles camelo, gatos, deputados ou acompanhantes de luxo.
e temos bens inanimados como Ferraris, a mensalidade do Colégio Militar, as contas offshore ou a vivenda na Quinta da Marinha.

o Poder é exercido, na economia de mercado (ou se quiserem, na sociedade das transacções), através da obtenção de por meio da aquisição dos bens. os bens, sejam eles o Nicolau Breyner ou a Soraia Chaves (no Callgirl) são adquiridos com dinheiro.
o dinheiro, é assim a representação do Poder na terra, como o Papa o é do deus.

tal como o papa perdoa os pedófilos que bem entende, aqueles que mais dinheiro têm (como os bancos) pagam o que bem entendem.

assim Francisco, não. os bancos não pagam. porque se um padre pedófilo é um homem perdoado, então na mesma medida uma instituição financeira não deve contas ao Zé (povinho).

é caso para dizer que, cada um fode o que pode.

01 outubro 2010